Connect with us

Agricultura

UTAD lidera laboratório Inov4Agro que quer promover agricultura sustentável

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) lidera o laboratório associado Inov4Agro que quer promover a agricultura inteligente, a adaptação às mudanças climáticas e otimizar os recursos endógenos, anunciou hoje a academia de Vila Real.

Para além do Inov4Agro, a UTAD integra também o laboratório associado AL4AnimalS.

“Trata-se de um resultado histórico, sobretudo numa instituição de ensino superior do Interior, o que confirma o considerável aumento na produção científica da instituição, confirmando novas centralidades em Vila Real, Braga, Évora e Bragança, além do reforço dos principais centros urbanos”, afirmou o reitor Fontainhas Fernandes, num comunicado divulgado pela UTAD.

O Inov4Agro resulta do consórcio liderado pelo Centro de Investigação e Tecnologias Agroambientais e Biológicas (CITAB) e o Centro de Investigação em Produção Agroalimentar Sustentável (GreenUPorto) e pretende “apoiar a transição do setor agrícola para a sustentabilidade”.

“Irá utilizar uma abordagem ‘multilayer’ para promover a agricultura inteligente e de conservação – em particular no setor da horticultura – fomentar a adaptação às mudanças climáticas, aumentar a atratividade dos territórios de baixa densidade e otimizar os recursos endógenos”, salientou o investigador e diretor deste laboratório, Eduardo Rosa.

O trabalho a desenvolver, explicou, está estruturado nas linhas temáticas: eficiência no uso de recursos e qualidade dos produtos produzidos, recursos hídricos, saúde dos solos e alimentação, alavancar os sistemas de produção alimentares locais e o desenvolvimento tecnológico e inovação.

Este laboratório tem um financiamento de cerca de 650 mil euros até 2025.

Por sua vez, o AL4AnimalS pretende desenvolver “ciência e conhecimento focado na necessidade de alimentar uma população humana em constante crescimento com produtos animais seguros e nutritivos, o controlo de doenças emergentes e zoonoses, que têm um impacto devastador na saúde pública e, encontrar novas soluções terapêuticas para doenças humanas usando os animais como modelo”.

A iniciativa é liderada pelo Centro de Investigação Interdisciplinar em Sanidade Animal (CIISA) e agrega o Centro de Estudos de Ciência Animal (CECA) e o Centro de Ciência Animal e Veterinária (CECAV/UTAD).

O diretor será Luís Costa, da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e, na UTAD, a responsável será a docente e investigadora Cristina Miranda Guedes.

Este laboratório associado vai abordar as temáticas de produção animal verde, doenças e zoonoses emergentes e medicina comparada e translacional e biotecnologia, e tem um financiamento de 1,1 milhões de euros até 2025.

A nível nacional a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) aprovou a criação de 40 laboratórios associados, com um financiamento anual estimado de 23,8 milhões de euros, com início em 2021 e por um período de cinco anos.

Os laboratórios associados agregam uma ou várias unidades de investigação científica. O seu estatuto é concedido por um período até 10 anos, que pode ser renovado, mas está sujeito a avaliações intercalares.

Lusa

Continue Reading
Advertisement

Siga-nos no Facebook

Arquivo

+ popular

%d bloggers like this: