Portugal

‘Task force’ “tem cumprido” com envio de vacinas para a Madeira

A ‘task force’ da vacinação contra a covid-19 “tem cumprido escrupulosamente” no envio de vacinas para a Madeira, pelo que a região mantém o objetivo de 70% da população inoculada em setembro, disse hoje o presidente do Governo Regional.

“O responsável da ‘task force’, Gouveia e Melo, tem cumprido escrupulosamente com aquilo que são as doses destinadas à Madeia”, afirmou Miguel Albuquerque aos jornalistas, à margem de uma visita que efetuou a uma unidade de alojamento local na freguesia do Curral das Freiras, concelho de Câmara de Lobos.

O governante insular apontou que esta região “não pede nem mais, nem menos do que os outros”, realçando que “a distribuição de vacinas tem sido feita em termos de proporção da população”.

“O vice-almirante é uma pessoa séria e, felizmente para o país, assumiu esta função [responsável da ‘task force’ da vacinação] com seriedade”, acrescentou.

Segundo Miguel Albuquerque, “até agora” as vacinas “têm estado sempre a chegar, da Pfizer, da AstraZeneca e da Johnson”, o que “vai permitir chegar a setembro com um número considerável de residentes vacinados e mais de 70% da população vacinada”.

O chefe do executivo destacou a “boa adesão verificada terça-feira no ‘open day’ do Centro da Vacinação do Funchal, no qual cerca de 1.000 pessoas foram vacinadas sem marcação”, devendo as autoridades de saúde repetir a ação em 27 de julho.

Também referiu que está a decorrer o processo de vacinação relativo aos estudantes, sendo objetivo do Governo Regional que os que frequentam estabelecimentos de ensino fora da Madeira sejam inoculados com a segunda dose quando regressarem à região.

Miguel Albuquerque apontou ainda que o objetivo é ter, “quando recomeçarem as aulas, toda ou quase toda a população jovem vacinada”.

O Conselho do Governo Regional da Madeira reuniu-se hoje e decidiu manter as medidas de controlo sanitário, ao abrigo da situação de calamidade, devido à covid-19.

Entre estas, a obrigatoriedade de apresentação de um teste PCR negativo na entrada na Madeira e o recolher obrigatório entre as 01:00 e as 05:00, incluindo aos fins de semana.

Os bares e restaurantes têm um horário de funcionamento alargado até às 00:00.

Estes estabelecimentos ficaram autorizados a estar abertos acolhendo até dois terços da sua capacidade e a funcionar com seis pessoas na mesma mesa no espaço interior e 10 no exterior. Continua a não ser permitido “beber ao balcão ou de pé”.

Desde 21 de junho é também exigido apenas um teste rápido antigénio negativo para as deslocações entre as ilhas da Madeira e do Porto Santo, realizado até 48 horas antes da viagem.

Lusa

ÚLTIMAS 24 HORAS

Exit mobile version