Connect with us

Portugal

Sines tem as “melhores condições” para atrair investimento direto estrangeiro – Governo

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, disse hoje que Sines (Setúbal) continua a ser a localização do país com “melhores condições para atrair investimento direto estrangeiro”, no âmbito da transição energética e climática.

“Na dupla transição, Sines, continua a ser a localização do país com melhores condições para atrair investimento direto estrangeiro”, afirmou o governante durante a conferência nacional sobre as novas soluções energéticas para a indústria que decorreu hoje no Centro de Negócios da Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS).

Para o governante, o Complexo Industrial e Portuário de Sines, “é mais uma vez a jóia da coroa” e “o centro de desenvolvimento das políticas em torno da energia”, dando como exemplo o cabo submarino da EllaLink, “que permite desenvolver novos modelos de negócio” como a Start Campus, responsável pelo desenvolvimento do megacentro de dados SINES 4.0.

No encontro, promovido pela aicep Global Parques, Eurico Brilhante Dias, reforçou a importância do trabalho desenvolvido pelos vários parceiros, como o Estado, aicep Global Parques e o Portugal Global, “no processo de transformação de Sines”.

Um trabalho “que fará de Sines o polo dinamizador da economia nacional que tanto precisamos”, realçou.

No encontro, o governante, sublinhou que “Portugal passou tarde pela primeira vaga da industrialização, muito centrada nos combustíveis fósseis, em particular no carvão”, porque “a energia é um elemento decisivo para ter vantagens comparativas” e para “gerar outros modelos de negócio”.

“Portugal não tinha carvão e continua a não ter carvão e, desde 01 de dezembro, que comunicamos ao mundo inteiro que somos o primeiro país a não ter centrais termoelétricas a carvão”, referiu.

No seu entender, este “é um elemento que acrescenta valor à proposta que Portugal faz aos investidores estrangeiros, porque hoje esse é um elemento distintivo, que nos distingue e que é central”.

“O país pode olhar, neste momento, para a economia de dados e para uma economia descarbonizada, com recursos, com tecnologia que podem colocar a economia portuguesa, e este território em particular, na liderança dos próximos anos de processos industriais”.

E, com isto, “desenvolver modelos de negócio competitivos à escala internacional” para “exportar mais e atrair mais investimento direto estrangeiro”, defendeu.

“Os projetos que vamos desenvolvendo têm vindo a atrair capital estrangeiro que intensivamente desenvolve modelos de negócio exportadores e Sines tem aqui um papel decisivo”, concluiu.

Lusa

Continue Reading

Portugal

Morreu o padre Vaz Pinto, antigo Alto Comissário para as Migrações

Arquivos RTP

Esta sexta-feira, morreu o padre António Vaz Pinto, aos 80 anos no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, segundo o avançado pela Companhia de Jesus.

Desde 8 de junho, que António Vaz Pinto estava internado no Hospital de Santa Maria, onde veio a falecer, na sequência de uma infeção pulmonar, como mostra a reportagem da CNN Portugal.

Padre, jesuíta e Alto Comissário para as Migrações e Minorias Étnicas, no período entre 2002 e 2005.

Segundo a Província Portuguesa da Companhia de Jesus, António Vaz Pinto, é recordado como um homem com “uma vida cheia e intensa”, tendo sido ” responsável pela criação e implementação de várias obras da Companhia de grande impacto apostólico”.

“O padre António Vaz Pinto tinha celebrado há dias os seus 80 anos e, aparentemente, encontrava-se bem, tendo festejado o seu aniversário na companhia de muitos familiares e amigos e num ambiente festivo. Contudo, o seu estado de saúde já era grave e três dias depois acabou por ser encaminhado de Évora, onde residia, para um hospital em Lisboa, tendo o seu estado agravado muito rapidamente”, pode ler-se na nota publicada pelos jesuítas no Ponto SJ, portal da companhia de Jesus.

Continue Reading

Portugal

“Adormecemos com três aeroportos, acordámos com zero”, diz Manuela Ferreira Leite

© Jorge Amaral/Global Imagens

Nas últimas 48 horas o despacho publicado no Diário da República, relativos ao futuro das infraestruturas aeroportuárias lisboetas, o qual foi revogado na passada quinta-feira, confirmou-o o primeiro-ministro, como mostra a reportagem da CNN Portugal.

Manuela Ferreira Leita, no seu habitual espaço de comentário na CNN Portugal, considerou esta quinta-feira relativamente ao despacho e à não demissão de Pedro Nuno Santos, que tratou de um dia “emotivo, porque adormecemos com três aeroportos e acordamos com 0, acordamos com um primeiro-ministro demitido e hoje vamos adormecer com um primeiro-ministro absolutamente vencido”.

Avança ainda que, Costa não tinha outra forma digna de lidar com o sucedido, que não fosse demitir o ministro, contudo foi algo que o chefe do Governo não fez, “não sabemos porquê, não sabemos quais são as histórias mal contadas (…) , provavelmente no meio desta má comunicação entre um ministro e um primeiro ministro, existem provavelmente problemas de natureza partidária”, problemas esses que infelizmente estão a ser transferidos para o Governo.

Continue Reading

Portugal

Angel Merkel sucessora de Jorge Sampaio na presidência de Prémio Gulbenkian

Sucedendo a Jorge Sampaio, a ex-chanceler alemã irá assumir o cargo de presidente do júri do Prémio Gulbenkian para a Humanidade, desde que saiu do poder este é o prémio cargo de Merkel.

No outono a ex-chanceler irá assumir o cargo, um ano depois de ter deixado a política alemã, segundo o confirmado pelo porta voz de Merkel, como mostra a reportagem da CNN Portugal.

16 anos foi o período em que Ângela Merkel esteve no poder, a presidir o governo, cargo que abandonou em dezembro de 2021.

No valor de 1 milhão de euros, o Prémio Gulbenkian para a Humanidade é concedido anualmente, na primeira edição em 2020 ao prémio foi atribuído a Greta Thunberg e m 2021 ao Global Covenant of Mayors em 2021.

Continue Reading

Portugal

Pedro Nuno Santos mantém-se no Governo

Esta quarta-feira, o Governo apresentou um novo cenário para a vertente aeroportuária lisboeta, que visava a construção, até 2021 de um aeroporto no Montijo, e o encerramento do aeroporto Humberto Delgado, quando o aeroporto de Alcochete estivesse concluído, em 2035.

Um dia depois, o despacho é revogado pelo primeiro-ministro, que desta forma, desautorizou o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos.

À margem da cimeira da Nato que decorre em Madrid, o primeiro-ministro relatou que desconhecia o despacho relativo ao novo aeroporto de Lisboa, despacho apresentado ontem pelo Governo.

Depois de reunir com António Costa, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, em conferência de imprensa, afirmou que apesar dos erros cometidos, os quais reconhecia e assumia, iria permanecer no Governo.

O primeiro-ministro considerou que apesar de ter sido “cometido um erro grave”, a sua confiança em relação ao ministro não se tinha alterado.

Continue Reading

Ultimas do Alentejo

Publicidade

Siga-nos no Facebook

Os Mais Vistos

ÚLTIMAS 48 HORAS