Connect with us

Alentejo

PCP critica concurso para novos estudos na ferrovia Casa Branca

O PCP criticou hoje a decisão da Infraestruturas de Portugal (IP) de avançar com a elaboração de novos estudos para a modernização do troço ferroviário entre Casa Branca e Beja e requereu a audição da empresa.

O requerimento para a audição da IP no parlamento foi subscrito pelos deputados comunistas João Dias e Bruno Dias e é dirigido ao presidente da Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, o deputado do PSD António Topa.

Em causa está o concurso público, já publicado em Diário da República, para a elaboração dos estudos e projetos necessários para a modernização do troço ferroviário entre Casa Branca e Beja da Linha do Sul e da execução de uma ligação ao Aeroporto de Beja.

“Esta linha já foi alvo de estudos que têm custado milhões de euros aos portugueses, de onde se destaca o estudo da REFER (empresa pública entretanto integrada na IP) de maio de 2015”, assinalaram, no requerimento, os deputados do PCP.

Segundo os parlamentares, este estudo debruçou-se sobre “as intervenções nesta infraestrutura ferroviária para o troço Casa Branca – Funcheira”, o qual “já contempla várias soluções, nomeadamente no que respeita às velocidades e à concordância de Casa Branca e a variante do aeroporto de Beja”.

“É, assim, incompreensível e mesmo inadmissível que se ignore o estudo da REFER, optando-se pelo gasto de mais 3,23 milhões de euros para estudar o que já está estudado”, criticaram, considerando que “a prioridade” deve ser o avanço dos “projetos de execução e as respetivas candidaturas”.

Para os comunistas, a Linha do Alentejo “é indispensável ao sistema ferroviário nacional”, pelo que deve ser assumida “de uma vez por todas” a modernização e eletrificação de toda a Linha do Alentejo, com recurso ao estudo da REFER de maio de 2015.

Os deputados do PCP justificaram o requerimento para a audição da IP na Assembleia da República por entenderem “ser necessário esclarecer e clarificar as intenções do Governo e da entidade competente”.

No requerimento, os dois parlamentares assinalaram ainda que “o anúncio determina que o prazo de execução dos referidos projetos é de 967 dias”.

“Ou seja, cerca de três anos, o que significa que a conclusão dos estudos será em 2025”, acrescentaram.

Segundo a IP, o investimento na Modernização da Linha do Alentejo integra o Plano Nacional de Investimentos PNI2030, prevendo a duplicação do troço Poceirão-Bombel e a requalificação e eletrificação do troço Casa Branca e Beja.

“No troço Casa Branca – Beja irá ser assegurada a circulação de comboios de tração elétrica e instalados sistemas de sinalização, controlo, comando e telecomunicações”, precisou, esta semana, a empresa, no comunicado.

Além disso, será “efetuado um estudo de viabilidade técnico-financeira da criação de uma ligação ferroviária ao Aeroporto de Beja”, é acrescentado na nota.

De acordo com o anúncio do concurso público, consultado pela Lusa, “os estudos e projetos a desenvolver” neste troço “visam potenciar a operacionalização da exploração que se deseja para esta” linha ferroviária e para “a sua ligação ao aeroporto”.

Lusa

Continue Reading
Advertisement

Siga-nos no Facebook

Arquivo

+ popular