Alentejo

Lar de Misericórdia de Viana do Alentejo com mais óbitos e casos

O número de óbitos no surto de covid-19 num dos edifícios do Lar da Misericórdia de Viana do Alentejo (Évora) aumentou para quatro e foram detetados mais 21 casos de infeção na instituição, disse hoje o provedor.

Em declarações à agência Lusa, o provedor desta Santa Casa da Misericórdia, Rui Pão Mole, indicou que dois utentes infetados com o vírus da covid-19, um homem e uma mulher com mais de 85 anos, morreram na quarta-feira, um deles no hospital de Évora e o outro na instituição.

Segundo o responsável, estes óbitos somam-se aos outros dois, também de utentes do Edifício Rossio do lar, ocorridos no domingo e na segunda-feira, pelo que o total de mortes na instituição subiu para quatro.

Relativamente ao balanço do surto feito à Lusa na passada segunda-feira, o provedor assinalou hoje que foram detetados mais 21 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, nomeadamente 17 utentes e quatro funcionários.

Do total de 49 utentes infetados, 47 encontram-se na instituição e dois estão internados no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), adiantou Rui Pão Mole, referindo que o total de casos entre as funcionárias é de 12.

De acordo com o responsável, nove utentes deste edifício do lar da Misericórdia de Viana do Alentejo, que já fizeram vários testes com resultado negativo, foram transferidos para a Zona de Concentração e Apoio à População (ZCAP) criada em instalações da instituição na freguesia de Aguiar.

O primeiro caso positivo de covid-19 na Misericórdia de Viana do Alentejo foi o de uma utente que frequenta “tratamentos fora da instituição, regularmente”.

Já quanto ao surto de covid-19 no Lar da Santa Casa da Misericórdia de Alcáçovas, também no concelho de Viana do Alentejo, registou-se, na quarta-feira, a 30.ª morte entre os utentes da instituição, disse à Lusa o provedor.

Segundo o responsável, um dos utentes infetados já recuperou da doença, mantendo-se internado por outras patologias, e outros 17 “já estão assintomáticos” e têm “mais de 20 dias de infeção”, pelo que “aguardam teste de cura”.

No lar, estão ainda 41 utentes com covid-19, enquanto outros três estão hospitalizados, dois no HESE e um no hospital de Portalegre, assinalou, indicando que, das 39 funcionárias que foram infetadas, cinco já recuperaram da doença e as restantes cumprem quarentena.

+ popular

Exit mobile version