Connect with us

Portugal

Incêndios :Vídeo de jovem algarvia torna-se viral

Laura Labrador, jovem algarvia, publica vídeo na sua página pessoal na rede social Facebook, acerca dos incêndios no Algarve, que se tornou viral. Na imagem onde decorre a gravação conseguimos avistar uma área devastada pelos incêndios, a jovem questiona a eficácia dos 600 operacionais, no terreno e nega as imensas ajudas divulgadas.

Afirma que ” Os 600 operacionais estiveram cá, mas andavam, apenas de carro de um lado par outro”, alega que fala com conhecimento, uma vez que não esteve ” sentada no sofá a ver televisão, eu estive cá”.

Relata ainda que, teve muitas dificuldades em chegar a casa, sendo que, em todos as frentes “vias o fogo a vir para ti, só vias fogo, não vias nenhum bombeiro, nem sapador, não havia ninguém ali”.

A jovem algarvia, afirma que até a imprensa “largou as câmaras para ajudar a apagar o fogo,” confidencia ainda que, um operacional terá chegado perto do fogo que se alastrava dentro de uma casa e limitou-se a olhar, de braços cruzado, observando as três pessoas que apagavam o fogo.

Atesta ainda que, se cruzou com uma camião com 7 bombeiros, pediu-lhes ajuda e estes disseram que não podiam ajudar, uma vez que, a viatura em que se encontravam estava avariada. Uns minutos depois, uma habitação muito próxima começou a arder. Os moradores saíram de casa e pediram ajuda aos bombeiros, pedido ao qual, segundo a jovem, eles responderam da mesma forma, que não podiam ajudar, sendo que, o camião estava avariado.

A jovem demonstra-se indignada, afirmando que a ajuda só chegou “quando já tudo tinha ardido”, questiona a eficácia das entidades responsáveis, acusando-as de inércia e insensibilidade.

Acusa a Capitoa de uma péssima gerência face aos acontecimentos, uma vez que era esta quem coordenava as operações, afirmando que a mesma ” deveria colocar o seu cargo à disposição”.

Conclui, afirmando que a principal razão pela qual procedeu à gravação e, por sua vez, publicação do vídeo é a verdade , “relatar os factos como aconteceram”.

Ana Melo Cano

Continue Reading

ÚLTIMAS 24 HORAS