Connect with us

Alentejo

Homem que atropelou três pessoas em Reguengos de Monsaraz ouvido hoje por um juiz

O condutor do automóvel que atropelou três pessoas em Reguengos de Monsaraz (Évora), na sequência de desacatos, vai ser ouvido hoje por um juiz, depois de se ter entregado voluntariamente à Polícia Judiciária (PJ), revelou o advogado.

Em declarações à agência Lusa, o advogado Fábio Palhas indicou que o homem se entregou na quarta-feira, passou a noite nas instalações da PJ e vai ser presente a primeiro interrogatório judicial hoje no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Évora.

“Ele contactou-me durante o fim de semana e eu comecei a fazer diligências, desde a manhã de segunda-feira, no sentido de o apresentar, mas a PJ só marcou para quarta-feira de manhã e foi nesta data que ele compareceu nas instalações em Évora”, disse.

Os desacatos, ocorridos na sexta-feira à noite junto da esplanada de um bar da cidade, provocaram três feridos, atropelados pelo condutor de um automóvel, que, posteriormente, abandonou a viatura, segundo fontes da GNR e dos bombeiros.

Num comunicado divulgado no sábado, a GNR explicou que uma patrulha foi chamada na noite de sexta-feira, depois das 22:30, ​a um estabelecimento de venda de bebidas ao público onde “um grupo de indivíduos” tentava entrar, tendo-lhes sido vedado o acesso “porque não se faziam acompanhar do respetivo certificado digital” covid-19.

A GNR esclareceu então que será instaurado um processo de averiguações para apuramento de eventual responsabilidade disciplinar relativamente à atuação dos militares da guarda.

Um vídeo que mostra os desacatos está a circular nas redes sociais.

Fábio Palhas adiantou que um outro homem envolvido nos desacatos também se apresentou voluntariamente na PJ de Évora, na quarta-feira, tendo ficado sujeito à medida de coação de termo de identidade e residência (TIR).

Quanto ao condutor do automóvel, referiu, foi inquirido por inspetores da Polícia Judiciária e, por “não existir sequer mandado de detenção à hora” a que terminaram declarações, “aguardou pela emissão desse mandato”.

“A intenção do meu cliente é colaborar inteiramente com a justiça”, sublinhou, salientando que “a estratégia da defesa é a da verdade”.

Lembrando que existe um vídeo que mostra os desacatos e o atropelamento, o causídico afirmou que “é para assumir aquilo que foi feito”, frisando, contudo, que o que aconteceu “teve um início” e “não foi só o que resulta das filmagens”.

Lusa

Continue Reading

ÚLTIMAS 24 HORAS