Siga-nos nas redes sociais

Alentejo

Covid-19: Um terço da população e 45% dos profissionais de saúde afetados psicologicamente

Teste COVID

Mais de um terço da população e quase metade dos profissionais de saúde inquiridos num estudo manifestaram sinais de sofrimento psicológico, como ansiedade, depressão ou stress pós-traumático, sendo os mais afetados os que estão a tratar doentes com covid-19.

O estudo Saúde Mental em Tempos de Pandemia (SM-COVID19), promovido pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), em parceria com o Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e a Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, mostra que os profissionais de saúde apresentam percentagens mais elevadas de ansiedade moderada a grave do que a população geral.

Os mais afetados “como seria expectável” são os profissionais que estão a tratar os doentes com covid-19, que têm um risco de sofrimento psicológico 2,5 vezes superior aos que não estão a tratar esses doentes, disse à agência Lusa Teresa Caldas de Almeida, coordenadora do estudo e investigadora do INSA, cuja recolha de dados decorreu em dois períodos: de 22 de maio a 20 de julho de 2020 e de 23 de julho a 14 de agosto.

É também neste grupo de profissionais de saúde que os níveis de ‘burnout’ (exaustão física e emocional) são mais elevados, chegando a atingir os 43%.

Financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, no âmbito do apoio “RESEARCH 4 COVID-19”, o estudo visou caracterizar o impacto da pandemia na saúde mental e identificar determinantes de resiliência e vulnerabilidade psicológica no contexto da pandemia.

“Este estudo teve em conta o conhecimento que havia de situações semelhantes em anteriores epidemias, por outros vírus, como o ébola ou o SARS, em que houve necessidade de haver confinamento das pessoas, e que já nessas alturas foram reportadas alterações na área da saúde mental”, disse Teresa Caldas de Almeida.

Nesse sentido, adiantou, foi considerado que “seria importante fazer uma caracterização da situação da saúde mental da população portuguesa, maiores de 18 anos, com alguma atenção particular aos profissionais de saúde e um segundo grupo que são os indivíduos infetados ou suspeitos de infeção”.

Segundo o estudo, 34% da população geral e 45% dos profissionais de saúde apresentavam sinais de sofrimento psicológico no decurso dos 15 dias anteriores à participação no estudo.

Já 27% dos inquiridos da população geral indicaram ter sintomas moderados a graves de ansiedade, 26% sintomas de depressão e 26% sintomas de perturbação de stress pós-traumático.

“São sobretudo as mulheres, os inquiridos entre os 18 e os 29 anos, os desempregados e os indivíduos com mais baixo rendimento quem apresenta mais frequentemente sintomas de sofrimento psicológico moderado a grave, ansiedade, depressão ou perturbação de stress pós-traumático”, adiantou a investigadora.

Um terço apresentava níveis de resiliência elevados, nomeadamente os homens com mais de 50 anos, os empregados e os reformados.

Relativamente às novas formas de organização do trabalho, suscitadas pela pandemia, 83% consideraram que, em particular o teletrabalho, podem vir a ter um impacto positivo na sua vida.

O inquérito aponta “a dificuldade na conciliação trabalho-família, a preocupação com a manutenção do trabalho ou preservação do rendimento, a perceção de menos apoio social ou familiar e a preocupação relativamente ao futuro são determinantes relevantes de problemas de saúde mental na população geral e também nos profissionais de saúde”.

No caso dos profissionais de saúde, “o rendimento, o tratar doentes com covid-19, o nível médio/baixo de resiliência, as dificuldades na conciliação trabalho-família, a falta de apoio social e familiar, e as preocupações face ao futuro são os principais fatores preditores de sofrimento psicológico”.

“Este estudo não é um estudo em que possamos ter chegado a um diagnóstico, que é feito com uma consulta de psiquiatria, mas utilizamos estes elementos muito sólidos, validados, com escalas validadas, que apontam para um valor que pode ser um pouco sobreavaliado, mas não muito longe dos resultados reais, ou seja, nós podemos afirmar a prevalência de sintomas e não, obviamente, a existência de uma patologia clínica diagnosticada”, sublinhou a investigadora.

Adiantou que “a intenção foi sempre recolher informação útil para que o Ministério da Saúde possa tomar as medidas que considera mais adequadas e que possam, no fundo, minimizar, mitigar os efeitos da pandemia na saúde mental da população portuguesa e dos profissionais de saúde”.

Os dados deste estudo são “muito semelhantes” a outros que têm sido feitos internacionalmente.

“Esta situação era expectável e decorrente desta situação pandémica. Não podemos dramatizar estes dados, mas também não os podemos minimizar. Mas o que é importante em tudo isto tem a ver com a informação para que se possam tomar as melhores medidas”, observou.

Portugal

Reguengos de Monsaraz assinala Dia Internacional da Eliminação da Violência Contra as Mulheres

Mariposas de mi Tierra¨

O Dia Internacional da Eliminação da Violência Contra as Mulheres vai ser assinalado hoje, às 15h, pelo Município de Reguengos de Monsaraz com o evento “Homenagem às Irmãs Mirabal – Pinturas e Recital Musical”, por Angie Del Riego. Esta iniciativa vai decorrer na Igreja de Santiago, em Monsaraz, e terá a presença do Embaixador da República Dominicana em Portugal, Miguel Angel Prestol.

Angie Del Riego é pintora, cantora e compositora, tendo composto a música “Nombre Secreto: Mariposas”, para o documentário sobre as Irmãs Mirabal, que foram mortas no dia 25 de novembro de 1960 durante a ditadura de Rafael Trujillo na República Dominicana. Neste evento, a artista dominicana vai contar a história das irmãs Mirabal através dos seus quadros, mas também das músicas que vai interpretar juntamente com o músico reguenguense Sérgio Galante.

Angie Del Riego vai apresentar cinco obras a óleo sobre tela que retratam as irmãs Mirabal, intituladas “Mariposas de mi Tierra”, “Patria rodeada de flores”, “La pequeña mariposa de Ojo de Agua”, “El sueño de Minerva” e “Tributo a la 4ta Mariposa”. Estas pinturas fazem parte do projeto “Dança das Mariposas” e não estão à venda, no entanto poderão ser adquiridas reproduções em tela em alta resolução assinadas por Angie Del Riego.

A artista vai apresentar também o seu projeto de estampas em têxteis com detalhes de algumas das suas pinturas, como lenços e quimonos com a estampa da pintura “True to myself, la flor del flamboyán”, almofadas com a impressão das obras “Mariposas de mi Tierra” e “El sueño de Minerva” e bolsas com estampas dos quadros “La marchanta en el mercado” e La flor del flamboyán”.

Angie Del Riego tem patente desde 22 de outubro até 11 de dezembro outra exposição na Igreja de Santiago, intitulada “El Arte Y Musica de Angie Del Riego”. Nesta mostra, a artista dominicana expõe quadros a óleo sobre tela e desenho misto a carvão e lápis de cor. Um dos quadros que pode ser apreciado é “La marchanta en el mercado”, que foi selecionada entre duas mil obras representando 200 países para a exposição mundial da Organização das Nações Unidas na Expo 2015 em Itália.

Continuar a ler

Alentejo

Países da América do Sul visitam Alentejo e inspiram-se no empreendimento de fins múltiplos de Alqueva

Grande Lago Alqueva 1

A Associação Transfronteiriça de Municípios do Lago Alqueva, a Autoridade Binacional do Lago Titicaca (Bolívia-Peru) e a Associação das Regiões Fronteiriças Europeias (ARFE), com o apoio do programa ADELANTE da União Europeia, organizam uma visita de estudo ao Lago Alqueva, com o objetivo de apresentar a representante de entidades públicas da Bolívia, Brasil e Peru experiências hispanoportuguesas de cooperação transfronteiriça e governança local em bacias hidrográficas internacionais.

Esta atividade surge no âmbito da Aliança de Cooperação Triangular formada pela Associação de Regiões Fronteiriças Europeias (ARFE) juntamente com parceiros estratégicos de Espanha e Portugal, a Autoridade Binacional do Lago Titicaca e o Congresso de Prefeitos do Uruguai, criado para fortalecer as capacidades dessas entidades, orientada para a melhoria do desenvolvimento económico, social e ambiental dos territórios fronteiriços.
A visita de estudo realiza-se nos dias 28 e 29 de novembro. No día 28 de novembro pelas 10h, será realizado um fórum euro-latino-americano no auditório de Portel, que conta na abertura com o Sr. Presidente da CCDRA, Dr. Ceia da Silva, fórum onde serão apresentados os trabalhos desenvolvidos pela Associação Transfronteiriça de Municípios do Lago Alqueva, o papel das autarquias no desenvolvimento territorial do lago e diferentes projetos de promoção de um Desenvolvimento territorial Sustentável no Território de Alqueva. Além disso, será abordada uma estratégia conjunta de cooperação entre a Associação e entidades municipais de Titicaca. A delegação sul-americana realizará ainda visitas e reuniões institucionais ao EFMA – Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, a projetos empresariais, à EDIA e à ATLA, bem como reuniões e encontros com responsáveis da CCDRA, ERTA, ARH do Alentejo (Portugal) e do Governo da Extremadura (Espanha).
Este intercâmbio e visita a Alqueva decorre da afirmação internacional de “Alqueva”, e da excelente cooperação Transfronteiriça existente entre Portugal e Espanha, projeto cuja aposta passou pelo desenvolvimento de fins múltiplos em torno das novas oportunidades geradas pelo EFMA, onde de forma transversal se apostou num “Desenvolvimento Territorial Sustentável”, assente nas melhores práticas, assim como na incorporação de inovação e tecnología, factores que servem agora de ensinamento e inspiração para estes Países da América do Sul e seus responsáveis.
No ámbito desta visita estão previstas a assinatura de convenios de cooperação entre instituições de ambos países.

Continuar a ler

Agricultura

Beja: três migrantes hospitalizados por “cansaço extremo”

Beja: três migrantes hospitalizados por “cansaço extremo”

Beja: três migrantes hospitalizados por “cansaço extremo”

Um argelino de 27 anos e dois marroquinos de 18 e 28 anos) são o rosto visível como as organizaçãos criminosas operam no alentejo — “altamente estruturada e hierarquizada”, de acordo com uma fonte judicial

Explorados pela rede de trabalho escravo no Baixo Alentejo, desmantelada na quarta-feira pela Unidade Nacional de Contra-Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária, deram entrada no Hospital de Beja, horas depois do início das buscas e das detenções. “Apresentavam sinais de exaustão e de cansaço extremo supostamente pela carga horária a que eram sujeitos.

Os suspeitos com idades compreendidas entre os 22 e os 58 anos de idade, de nacionalidade estrangeira e portuguesa, encontram-se fortemente indiciados pela prática de crimes de associação criminosa, de tráfico de pessoas, de branqueamento de capitais, de falsificação de documentos, entre outros.

Os suspeitos, integram uma estrutura criminosa dedicada à exploração do trabalho de cidadãos imigrantes, na sua maioria, aliciados nos seus países de origem, tais como, Roménia, Moldávia, Índia, Senegal, Paquistão, Marrocos, Argélia, entre outros, para virem trabalhar em explorações agrícolas naquela região do nosso país.

Na sequência desta ação policial, resultou a apreensão de vários elementos probatórios, bem como a identificação de dezenas de vítimas.

Esta operação contou com a colaboração de várias entidades estatais e não estatais, quer em apoio logístico, quer no encaminhamento das vítimas.

Continuar a ler

Portugal

Viver o melhor do Natal em Serpa

cm serpa

Gastronomia, circuito dos presépios, mercadinhos com artesãos, música, e muitas atividades destinadas ao público infantil, irão marcar o Melhor do Natal, em Serpa. A programação terá início a 1 de dezembro e irá prolongar-se até 7 de janeiro.
Os mais novos vão poder patinar numa magnifica pista de gelo, encantar-se com o Castelo Mágico, e assistir à chegada do Pai Natal, com o seu saco de presentes.

Estará à disposição de todos, dentro da cidade de Serpa, um comboio que efetuará um circuito entre as atividades, patrocinado pelos comerciantes e empresários de Serpa. Os mercadinhos de rua voltam a realizar-se ao fim de semana, dinamizando o Centro Histórico e o Mercado Municipal, permitindo apoiar os artesãos e o comércio local, e paralelamente oferecer a possibilidade de adquirir algumas lembranças. As tradições gastronómicas desta época do ano estarão em destaque na restauração local, sob o mote SerApetece.
Do programa destacamos o circuito dos presépios, que conta com criações de artistas locais, nomeadamente em Vale de Vargo, com o seu já habitual presépio em tamanho real, que todos os anos nos surpreende com novas criações, pelas mãos da Associação Arco-Íris; em Vila Verde de Ficalho, com um presépio criado pelo grupo de artistas Ficalho Artes, instalado no recinto do espaço museológico; e em Serpa, com a instalação de uma escultura nas imediações da muralha. Em Brinches, será instalada uma árvore de Natal com quatro metros de altura.
Vários concertos estão agendados para todo o concelho, destacando-se o agendamento de espetáculos em igrejas e capelas das várias localidades, contando com grupos de cante, acompanhados de bandas filarmónicas. Ainda na área da música, em Serpa, a Banda da Força Aérea, a Banda do Rosal de La Frontera e a Banda Filarmónica de Serpa já confirmaram a sua participação, bem como o Coro de Câmara de Beja que dará um Concerto de Natal na Igreja de São Paulo.
O movimento associativo associou-se à animação desta quadra, e irá promover diversas atividades no concelho, das quais se destaca o desfile de Pais Natal Motard, com distribuição de lembranças às crianças.
No início do novo ano, em Serpa, decorre o tradicional Cante aos Reis, no dia 5 de janeiro, pelas ruas da cidade, com a participação informal de elementos dos grupos corais locais e de todas as pessoas que desejem participar. O ano novo será ainda celebrado com a Orquestra do Conservatório Regional do Baixo Alentejo a apresentar o Concerto de Ano Novo, no Cineteatro Municipal de Serpa.
A programação completa pode ser consultada, em breve, no site do Município.

Continuar a ler

Ultimas do Alentejo

Publicidade

Siga-nos no Facebook

ÚLTIMAS 48 HORAS