Siga-nos nas redes sociais

Economia

Cerca de 40% dos alimentos cultivados não são consumidos

Cerca de 40% dos produtos cultivados a nível mundial não são consumidos sendo o desperdício correspondente a 10% dos gases com efeito de estufa que provocam o aquecimento global, alerta o Fundo Mundial para a Natureza (WWF). 

A produção de alimentos utiliza grandes quantidades de terreno, água e energia, o que provoca um aumento dos gases com efeito de estufa equivalente a “quase o dobro” das emissões anuais de todos os automóveis dos Estados Unidos e da Europa, refere o relatório do WWF.

Em termos absolutos, o relatório estima que todos os anos são desperdiçados 2.500 milhões de toneladas de alimentos, das quais 900 milhões nos estabelecimentos de venda e nas casas dos consumidores. 

“Este relatório mostra que o problema é provavelmente maior do que o que imaginávamos”, disse à Efe Pete Pearson, responsável pela Iniciativa Mundial sobre a Perda e Desperdícios de Alimentos do WWF. 

Anteriormente, a organização ambientalista tinha calculado que a perda de alimentos correspondia à metade do que foi agora divulgado: 1.300 milhões de toneladas. 

Segundo Pete Pearson, a crise sanitária agravou a tendência ao causar interrupções em grande escala nas cadeias de distribuição, forçando cancelamentos de contratos, fecho de restaurantes e deixando grandes quantidades de alimentos nas unidades de produção agrícola e que não foram consumidos.  

Mais de 4,4 milhões de quilómetros quadrados de terreno e 760 quilómetros cúbicos de água utilizam-se para produzir 1.200 milhões de toneladas de comida que de desperdiçam no campo, durante e depois das colheitas, ou que são desviados para outros usos como a alimentação animal ou para a produção de biocombustíveis. 

Segundo o WWF, estas quantidades equivalem a uma extensão maior do que o subcontinente indiano e um volume de água correspondente a 304 milhões de piscinas olímpicas. 

O relatório indica que os países da Europa, América do Norte e Estados industrializados da Ásia contribuem com 58% destas perdas verificadas nas colheitas agrícolas mundiais.

Apesar do valor mais elevado das perdas ocorrer no meio agrícola, as políticas dos governos concentram-se na última fase da cadeia de distribuição (venda e consumo), critica o WWF que pretende concentrar a gravidade do problema nos vendedores e nos consumidores. 

O documento conclui que para se conseguir uma redução significativa, os governos e os mercados devem adotar medidas para apoiar os agricultores de todo o mundo no sentido de atingir um compromisso com vista à redução do desperdício. 

O responsável pelo WWF refere ainda que apesar de o estudo visar a produção agrícola e não os produtos de origem animal, é importante reduzir o consumo de carne, por questões relacionadas com a saúde dos consumidores e ambientais. 

Mesmo assim Pearson reconhece que em alguns países a redução do consumo de carne não é possível.

“Propor um padrão único de consumo ou sistema de produção não iria abarcar a complexidade dos sistemas de alimentação, cultura, história e ciência”, disse Pearson que defende medidas sobre o assunto. 

“Onde se decidir a continuar a consumir alimentos de origem animal deve ser assegurado que a produção vem de sistemas sustentáveis”, acrescentou.

Lusa

Portugal

Entre os 10 milhões de portugueses 159 mil são milionários

Em 10 milhões de portugueses 159 mil são milionários, em comparação com 2020 o número caiu em cerca de 10 mil, registando-se um decréscimo de 6% num ano, por outro lado o número de milionários cresceu 9% a nível mundial, segundo o avançado pelo Global Wealth Report 2022 do Credit Suisse divulgado esta terça-feira.

Segundo o apurado pelo ECO , a riqueza média de um português, no início da década, correspondia a 52,4 mil dólares.

Continuar a ler

Portugal

Universidade Sénior já arrancou no Concelho de Viana

O Polo de Viana do Alentejo da Universidade Popular Túlio Espanca/Universidade de Évora (UPTE/UÉ) iniciou no passado dia 16 de setembro, o novo ano letivo com cerca de 80 inscritos.
A cerimónia teve lugar no Cineteatro Vianense e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Viana do Alentejo, Luis Miguel Duarte, da vice-presidente da Câmara, Paula Neves, do diretor da UPTE/UÉ, Bravo Nico e dos muitos alunos/as e professores que integram este projeto.
Após dois anos de pandemia que restringiu as atividades, o autarca mostrou-se agradado com a adesão dos alunos, realçando a importância do projeto para manter ativa esta camada da população, melhorando a sua qualidade de vida. Luis Miguel Duarte, fez um agradecimento especial ao diretor da UPTE/UÉ, Bravo Nico, “pelo acompanhamento que tem prestado ao Polo de Viana do Alentejo”. O reconhecimento estendeu- se aos professores voluntários que, de forma altruísta, participam neste projeto, realçando a “importância do convívio e partilha de conhecimentos”.
O diretor da UPTE/UÉ, Bravo Nico, destacou a importância da Universidade Sénior, um dos maiores projetos educativos e de envelhecimento ativo do país, que une milhares de alunos dos Polos de Viana do Alentejo, Alandroal, Évora/Canaviais, Évora/Centro Histórico, Portel, Escola Comunitária de São Miguel de Machede, Reguengos de Monsaraz, Barrancos e União de Freguesias do Bacelo e Sr.ª da Saúde. De salientar que o Polo de Viana do Alentejo é um dos polos mais antigos da Universidade Popular, contando com 12 anos de existência em conjunto com o Clube de Saúde Sénior que assinala também os mesmos anos.
Na sessão de abertura do novo ano letivo, para além da aula aberta subordinada ao tema “Aprendizagem e saúde: uma relação saudável”, houve ainda a atuação da Tuna do Polo de Viana do Alentejo da Universidade Popular Túlio Espanca.
Para o presente ano letivo estão disponíveis no Polo de Viana do Alentejo diversos cursos, nomeadamente Inglês, Informática, Alfabetização de Adultos, Teatro, Bordados e Costura, Saúde e Socorrismo, Ambiente e Cidadania, Tuna, Clube de Saúde +, Cineclube, Conversas sobre Saúde Mental, Atelier de Cerâmica e Hidroginástica. Previstas estão, também, ações de informação e sensibilização e visitas de estudo temáticas.
As aulas, lecionadas por professores voluntários, decorrem de segunda a sexta-feira, nas três freguesias do concelho.
As inscrições para o Polo de Viana do Alentejo efetuam-se no Balcão Municipal, em Viana do Alentejo, e nas Bibliotecas em Aguiar e em Alcáçovas.

Continuar a ler

Portugal

Conheça as principais medidas do plano do Governo para combater inflação

António Costa

Esta segunda-feira, o Governo apresentou o plano “Famílias primeiro” com o objetivo de ajudar as famílias a conviver com a inflação e o aumento constante dos preços.

Conheça as medidas :

– As famílias com rendimento mensal bruto até 2700 euros irão receber um apoio de 125 euros por pessoa (a pagar em outubro uma vez);

– Por cada criança ou jovem dependente até aos 50 euros irá ser concedida a quantia de 50 euros (pagamento feito em outubro) ;

– Todos pensionistas terão direito a 50% de pensão extraordinária (pagamento feito em outubro);

– O IVA sobre a eletricidade desce de 13% para os 6% , (a partir de outubro a dezembro de 2022);

– A conta de gás vai diminuir em 10% para consumidor com a mudança para o mercado regulado;

– A redução do Imposto Sobre Produtos Petrolíferos (ISP) mantém-se até ao final de 2022;

– Limitação em 2% do aumento das rendas, com compensação no IRS/IRC dos senhorios;

– O preço dos transportes irá manter-se até 2023;

Continuar a ler

Portugal

FACECO abre portas para três dias de cultura, negócio e animação em São Teotónio

O grande certame do concelho de Odemira – FACECO – Feira das Atividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira, acontece nos dias 22, 23 e 24 de julho, em S. Teotónio, promovida pelo Município de Odemira. A Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, vai marcar presença na inauguração da FACECO – Feira das Atividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira, no dia 22 de julho, pelas 15h00.

Serão três dias de cultura, negócio, muita animação e reencontro após dois anos de interregno. A 30ª edição da FACECO vai ser marcada pela realização do Concurso Ibérico da Raça Limousine, alterações na organização dos espaços, maior oferta a nível de animação, o espaço Odemira Creative Market e a dinamização do 1º Concurso de Medronho. Na música, os destaques vão para as atuações de Tiago Bettencourt (sexta-feira, dia 22), Bateu Matou (no sábado, dia 23) e Viviane (no domingo, dia 24).

Como é tradição deste certame, o artesanato local volta a contar com a presença de dezenas de artesãos a trabalhar ao vivo, numa ampla zona de exposição. Também o setor pecuário estará em grande destaque, com a realização do 33.º Concurso Nacional e do 4.º Concurso Ibérico, promovidos pela Associação Portuguesa de Criadores de Raça Bovina Limousine. Destaque também para o 17.º Concurso Regional Raça Holstein Frísia e para o 25.º Concurso Regional da Cabra Charnequeira. A FACECO volta a ser o espaço para a entrega dos Prémios Espírito Empreendedor, no âmbito do Programa Municipal de Empreendedorismo e Emprego – Odemira Empreende.

Serão dinamizados vários espaços de debate, dedicados à Rota Vicentina (sexta-feira, dia 22, 15h10), ao tema “Cultura no Centro do Desenvolvimento Territorial” (sábado, dia 23, 11h15), aos “Novos Desafios na Floresta” (no domingo, dia 24, 11h15) e ao Projeto CRIAR – Centro em Rede de Inovação do Artesanato Regional” (no domingo, dia 24, 15h30).

A completar o programa haverá provas gastronómicas, desporto, atividades para crianças e animação no recinto, com espetáculos musicais em três palcos espalhados pelo recinto.

Continuar a ler

Ultimas do Alentejo

Publicidade

Siga-nos no Facebook

ÚLTIMAS 48 HORAS