Connect with us

Alentejo

Câmara do Porto diz que críticas do ICOMOS resultam de “profunda ignorância”

A Câmara do Porto disse hoje discordar das conclusões do relatório do ICOMOS, organismo consultivo da Unesco, que coloca o centro histórico na lista de património em perigo, afirmando que estas resultam da sua “profunda ignorância”.

“A Câmara do Porto não concorda, ainda assim, com muitas das conclusões apontadas pelo ICOMOS de Lisboa, que resultam da sua profunda ignorância sobre o património na cidade do Porto”, assinala o município numa resposta à Lusa.

Reconhecendo o direito do ICOMOS – Conselho Internacional de Monumentos e Sítios a opinar “sobre aquilo que entenda”, a autarquia sublinha que a entidade que tutela o centro histórico do Porto é a Direção-geral do Património Cultural (DGPC).

O centro histórico do Porto, classificado pela Unesco como Património da Humanidade, é um dos três sitos incluídos no mais recente Relatório Mundial sobre Monumentos e Sítios em Perigo, publicado em 2020, que aborda a situação em 23 países.

No relatório consultado pela Lusa, o organismo consultivo da Unesco identifica um total de 14 obras ou projetos em andamento ou realizados na área do centro histórico do Porto como estando em risco.

O ICOMOS refere que, “atualmente, há uma perda gradual de sua integridade devido às demolições massivas de edifícios históricos e novas construções que afetam a paisagem urbana”.

O projeto da Time Out para a ala sul da Estação de São Bento, que implica a demolição do corredor sul para construção de restaurante panorâmico, é um dos projetos identificados no relatório que salienta que o projeto foi apresentado ao Centro do Património Mundial”, mas “apesar disso, o município aprovou recentemente o projeto, sem restrições”, refere o relatório.

“No que diz respeito ao projeto da ‘Time Out’, este teve parecer favorável da DRCN/DGPC, e foi também aprovado em sede de CNC (Conselho Nacional de Cultura)”, responde a autarquia.

A Câmara recorda que, em agosto de 2019, a DGCP, em resposta à Lusa, garantia à Unesco que a aprovação do Mercado Time Out na Estação de São Bento não põe em causa o ‘valor Universal Excecional’ do centro histórico do Porto, classificado como património mundial”.

Sublinhou ainda que o projeto em causa, cujo Pedido de Informação Prévia (PIP), foi aprovado em outubro de 2019, juntará Souto Moura a outros grandes arquitetos que trabalharam a cidade “que se revê no seu património, sem acolher, contudo, visões antediluvianas e baseadas em falsas premissas”.

De acordo com o relatório da ICOMOS Portugal, o projeto da Time Out para o edifício da Estação de São Bento existente é uma intervenção centrada na manutenção da fachada, que não pode descurar a função e acessibilidade da estação.

“O passeio está bem integrado, mas nem toda a área deverá ser ocupada, visto que irá descurar a função e acessibilidade da estação. A estação de comboios nunca deve ser separada da sua função de mobilidade urbana, visto que esta é de extrema importância para o centro histórico do Porto, também como porta de acesso a outros sítios do Património Mundial”, assinala o documento.

O projeto do Mercado Time Out Porto, para a ala sul da estação de São Bento, e que incluiu espaços de restauração e bares, foi aprovado pela DGPC em maio de 2019, apesar das críticas da UNESCO quanto ao “tamanho intrusivo” da torre de 21 metros projetada para o local.

Em abril de 2020, o presidente da Time Out Market, João Cepeda, disse que “confiar” que a obra do mercado em São Bento, pudesse avançar no último trimestre do ano.

O relatório da ICOMOS divulgado em 2020 recomenda ainda World Heritage Centre (WHC) solicite um projeto detalhado da intervenção no Morro da Sé, para onde está prevista a construção de uma residência de estudantes, para “mais fachadismos, como ocorreu noutros processos promovidos pela mesma entidade Porto Vivo -SRU, como são exemplo as ‘Cardosas’ ou a ‘Casa Forte'”.

Lusa

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

Advertisement

Últimas

Economia2 horas ago

Portugal sobe quatro lugares e torna-se o 26.º país mais atrativo para trabalhar

Portugal foi eleito o 26.º destino mais atrativo para trabalhadores estrangeiros em 2020, uma subida de quatro posições, face a...

Economia2 horas ago

Restauração quer prolongamento das moratórias e dos planos de amortização

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defende um prolongamento das moratórias até 30 de junho de...

Sociedade3 horas ago

Portugueses no estrangeiro já podem receber o cartão de cidadão em casa

Os postos e secções consulares portugueses no estrangeiro já podem enviar o cartão de cidadão para casa dos portugueses no...

Portugal3 horas ago

Governo prevê prolongar prazo para limpeza de terrenos pelos proprietários até 15 de maio

O Governo irá prorrogar o prazo de limpeza de terrenos pelos proprietários até 15 de maio, considerando as condições meteorológicas e o...

Sociedade3 horas ago

Sindicato alerta para possibilidade de 1.800 enfermeiros serem despedidos

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) enviou uma carta ao primeiro-ministro e à ministra da Saúde sobre o possível despedimento...

Saúde3 horas ago

Açores com dois novos casos em São Miguel e cinco recuperações

Os Açores diagnosticaram, nas últimas 24 horas, dois novos casos de covid-19 em São Miguel, no concelho da Ribeira Grande,...

Saúde4 horas ago

Portugal com 28 mortes nas últimas 24 horas, o valor mais baixo desde outubro

Portugal registou hoje 28 mortes relacionadas com a covid-19, o valor mais baixo desde 27 de outubro, e 830 novos...

Portugal7 horas ago

Portugal vai ter exposição e nove debates na Bienal de Arquitetura de Veneza

A representação oficial portuguesa para a Bienal de Arquitetura de Veneza 2021 vai apresentar uma exposição e nove debates, divididos...

tempo tempo
Economia9 horas ago

Chuvas de inverno deixam Algarve com água para dois anos

As reservas de água para abastecimento público no Algarve registaram um “aumento significativo” devido à chuva dos últimos meses e...

Educação10 horas ago

Ensino à distância 2.0 está melhor, mas longe de substituir presencial

Os diretores escolares e as famílias fazem um balanço positivo do ensino à distância, imposto pela pandemia de covid-19, reconhecendo...

Portugal11 horas ago

Há cerca de 1,5 milhões de armas legais em Portugal

Em Portugal existem cerca de 1,5 milhões de armas legais, sendo a maioria carabinas e espingardas destinadas à caça, revelam...

Sociedade11 horas ago

Presidente da República evoca a memória das 59 vítimas mortais

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, evocou hoje, passados 20 anos, a memória das 59 vítimas mortais da...

+ popular

%d bloggers like this: