Portugal

Autárquicas: Costa diz que números do INE mostram que é “com solidariedade e não austeridade” que se responde às crises

 O secretário-geral do PS, António Costa, salientou hoje que os números divulgados pelo INE na quinta-feira mostram que, apesar da “brutal queda” do PIB, “é com solidariedade e não com austeridade” que se responde às crises.

Falando no Mosteiro de São Dinis e São Bernardo de Odivelas, num comício de apoio ao atual autarca da Câmara Municipal que se recandidata, Hugo Martins, António Costa abordou os números divulgados na quinta-feira pelo INE para mostrar como a resposta que o seu Governo deu à atual crise económica foi “exemplarmente diferente daquela que a direita deu na crise anterior”.

“Ainda ontem [quinta-feira], ao vermos os números do Instituto nacional de Estatística (INE), vemos que, apesar da economia ter tido a mais brutal quebra do nosso PIB desde que há memória – 8,4% –, foi possível garantir que o rendimento das famílias não caísse mais de 0,7%, o que só foi possível graças às fortes medidas que adotámos de proteção do emprego e também de apoio ao rendimento das famílias”, salientou António Costa.

Num comício que era também para ser almoço, mas onde António Costa não pode participar por ter que ir ao dentista depois de um dente lhe ter “pregado uma partida”, o secretário-geral do PS reiterou assim que ficou “demonstrado, mais uma vez, que não é com austeridade”, mas “com solidariedade que se responde às crises”.

Dando o exemplo do local onde discursava, António Costa referiu ainda que o Mosteiro de D. Dinis e São Bernardo de Odivelas é um “excelente exemplo” que testemunha que as câmaras municipais poderão começar a fazer “mais e melhor” através do pacote de descentralização que irá entrar em vigor a partir de abril de 2022.

“Durante anos, esteve afeto ao Estado e esteve de portas fechadas à comunidade, não foi um fator de desenvolvimento desta terra. Desde que foi confiado à câmara, está a ser intervencionado, é um polo de desenvolvimento e vai ser um polo de desenvolvimento como residência universitária, acolhendo aqui uma nova instituição de ensino superior e ajudando a requalificar todo esse notável centro histórico de Odivelas”, salientou.

O secretário-geral do PS frisou assim que é “absolutamente fundamental” que o país se mantenha “no rumo certo” e, abordando o município onde discursava, “que se continue a “apostar na modernização de Odivelas”.

“É esse trabalho que tem de ser continuado, e é por isso que é necessário ter uma grande votação e um grande reforço do PS no próximo domingo também aqui em Odivelas”, apontou.

Na quinta-feira, O INE divulgou que o Produto Interno Bruto (PIB) caiu 8,4% em 2020, acima do previsto, passando a ser o ano com a maior contração económica desde 1995.

“No ano de 2020, marcado pelos efeitos económicos da pandemia covid-19, o Produto Interno Bruto (PIB) ascendeu a 200,1 mil milhões de euros, o que representou uma diminuição nominal de 6,7% (+4,5% em 2019) e real de 8,4% (+2,7% em 2019), sendo o deflator implícito de 1,9% (1,7% em 2019)”, indicou o INE.

Além disso, o INE indica também que a taxa de poupança das famílias para 11,5% do rendimento disponível no segundo trimestre do ano, refletindo o aumento de 4,4% do consumo privado.

“No 2.º trimestre de 2021, a capacidade de financiamento das famílias diminuiu 2,3 pontos percentuais (p.p.), para 5,2% do PIB e a taxa de poupança fixou-se em 11,5% (14,2% no trimestre anterior), refletindo sobretudo o crescimento de 4,4% do consumo privado (-1,8% no trimestre anterior)”, indica o INE.

No trimestre anterior, a taxa de poupança das famílias tinha atingido o valor mais alto de sempre, refletindo uma redução do consumo durante os primeiros três meses do ano, em que foi decretado um confinamento geral devido à pandemia.

Lusa

ÚLTIMAS 24 HORAS

Exit mobile version