Connect with us

Internacional

Presidente do Brasil diz que querem culpá-lo por tudo o que acontece no Brasil

Bolsonaro alegou que é responsabilizado por assuntos que são de responsabilidade de prefeitos ou governadores

Após duras críticas que o presidente vem enfrentando em relação ao seu governo, Jair Bolsonaro se defendeu ressaltando que, segundo ele, as pessoas o responsabilizam “por tudo de ruim que acontece” no País. A fala foi associada por parte da imprensa as duras críticas que o líder do país vem sofrendo depois de não ter se manifestado em um primeiro momento em relação a crise elétrica que o Amapá vive. 

Grande parte das cidades do Amapá estão sem energia elétrica desde a última terça-feira (03). Embora em algumas cidades a situação esteja sendo restabelecida nesta semana, em diversas cidades a situação ainda é crítica, sendo agravada pelos problemas com o abastecimento de água nestas regiões.

Após as críticas por não ter tocado no assunto em um primeiro momento durante suas aparições públicas, o chefe do Executivo nacional afirmou nesta terça-feira (10) que governadores e prefeitos “arrebentam com o desemprego” nos respectivos estados e cidades, mas que a responsabilidade da situação recaí sobre ele.  

O presidente do Brasil reclamou da situação com os apoiadores que o aguardavam na frente do jardim do Palácio da Alvorada, residência oficial do Presidente: “Agora, a culpa é minha que não tem emprego? E vão votar nos mesmos candidatos para governador. Impressionante: nos mesmos prefeitos que fecharam a cidade. Vão votar nos mesmos caras. Não sei o que fazer, fazer o quê? Tem gente que gosta dessa opressão”, reclamou. 

Bolsonaro também questionou o porquê de prefeitos que “fecharam tudo” aparecerem na frente nas pesquisas, mas complementou que “essas pesquisas não são confiáveis”. 

“O prefeito que fechou a cidade, tirou emprego. Por que que esses caras estão na frente de pesquisas, meu Deus, por quê? Parece que o cara gosta daquilo, daí reclama. Igual a São Paulo: vamos falar de São Paulo aqui. O prefeito lá [Bruno Covas] soldou até porta de comercio e está em primeiro lugar nas pesquisas”, apontou. 

Bruno Covas, atual prefeito da cidade de São Paulo, que concorre pela sua reeleição nas eleições deste domingo (15), foi duramente criticado pelo presidente ao longo da pandemia, assim como o governador do estado de São Paulo, João Doria. Para Bolsonaro, o isolamento social foi imposto durante a pandemia em todo o estado durante um grande período teria sido prejudicial, já que a ação proibiu a abertura de comércios que não fossem essenciais –situação com a qual Bolsonaro não concordou e disse por inúmeras vezes que mais tarde as pessoas iriam se arrepender por não priorizar a economia naquele momento.  

Beatriz Bergamin