Connect with us

Alentejo

Prémio Virgínia Quaresma atribuído a Eduardo Lourenço e Sara Maia

 Universidade de Aveiro revelou hoje os vencedores do Prémio Internacional em Estudos Culturais Virgínia Quaresma, tendo atribuído a Eduardo Lourenço o Prémio Carreira.

Sara Vidal Maia foi a outra vencedora, com o Prémio para Melhor Tese de Doutoramento em Estudos Culturais.

Foram ainda distinguidas, com menções honrosas, três teses de doutoramento assinadas por Lélian Silveira, Walter Chile e Catarina Laranjeiro.

“A atribuição do Prémio Carreira a Eduardo Lourenço e do Prémio para a Melhor Tese de Doutoramento a um trabalho que aborda o papel da imprensa na reprodução das estruturas de género em Portugal pretende estimular a reflexão crítica em torno de algumas questões que são caras aos Estudos Culturais: o colonialismo e pós-colonialismo português, a lusofonia, a democracia, as questões de género, raça e classe”, justificou o reitor da Universidade de Aveiro, Paulo Jorge Ferreira.

Promovido pela Universidade de Aveiro (UA), o Prémio Internacional tem o apoio da Rede Internacional em Estudos Culturais (RIEC) e da Rede Nacional em Estudos Culturais (RNEC), sendo a sua primeira edição patrocinada pela Direção Regional de Cultura do Centro.

O galardão é atribuído a cada dois anos nas duas modalidades “Carreira”, com prémio no valor de 1.500 euros, e “Melhor Tese de Doutoramento em Estudos Culturais”, premiado com a edição e publicação da tese escolhida.

Nascido em São Pedro de Rio Seco, na Beira Interior, em 1923, e falecido a 01 de dezembro de 2020, em Lisboa, Eduardo Lourenço, filósofo e ensaísta, “foi um dos principais filósofos cuja obra contribuiu para a reflexão crítica sobre Portugal e a Europa”.

A UA destaca o “vasto contributo científico e intervenção cultural do pensamento do professor Eduardo Lourenço no âmbito da cultura, cidadania e cooperação europeia e ibérica”.

“Profundamente político, poético, criativo, despretensioso, irreverente e inspirador, o professor Eduardo Loureço destaca-se pela densidade política e crítica do seu pensamento”, acrescenta.

A crítica das estruturas do poder, do discurso e da identidade são temas caros aos Estudos Culturais bem como aos Estudos de Género, áreas que compõem os eixos teóricos da tese de Sara Vidal Maia, “Relações de Poder e Identidade(s) de Género: A sociedade ‘matriarcal’ de Ílhavo na década de 1950”, defendida em 2016, no Programa Doutoral em Estudos Culturais das Universidades de Aveiro e do Minho.

A primeira edição do Prémio Virgínia Quaresma atribuiu ainda menções honrosas às teses de doutoramento de Lélian Silveira, intitulada “O Olhar Europeu Sobre o Brasil: da exotização do paraíso à mercantilização turística”, de Walter Chile, sob o tema “Traquitanas cênicas – saberes teatrais e artes de pesca: A decolonização do cenotécnico no Teatro Cacuri”, e de Catarina Laranjeiro, intitulada “Entre as Imagens e os Espíritos: encontros com a memória da guerra de libertação na Guiné-Bissau”.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *