Connect with us

Política

Portugal é destino qualificado e seguro para investir

O primeiro-ministro, António Costa, quer que o Japão olhe para Portugal como um dos destinos privilegiados para os seus investimentos na Europa, garantindo que, com a concretização de um cenário da saída do Reino Unido da União Europeia, qualquer empresa britânica ou japonesa que se queira manter no mercado único terá no nosso país “um porto seguro”.

Intervindo no encerramento do Seminário de Investimento Portugal-Japão, organizado em Londres pela AICEP (Agência Portuguesa para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), iniciativa que decorreu nas instalações do jornal britânico ‘Financial Times’, António Costa convidou os muitos empresários ali presentes a investirem em Portugal lembrando-lhes que, caso o ‘Brexit’ se concretize, investir em Portugal “é uma excelente alternativa” para estabelecerem e consolidarem os seus investimentos no mercado europeu.

Reafirmando o que há muito vem defendendo, que Portugal continua “empenhado em manter as melhores relações” com o Reino Unido, baseadas em “valores partilhados”, não só comerciais, designadamente em termos de tarifas, como também culturais, António Costa não deixou, contudo, de avisar as empresas que desejem manter as suas operações no mercado interno da União Europeia, depois da saída do Reino Unido, que o acesso ao mercado único a partir daí já “não vai ser o mesmo”, garantindo que vão encontrar em Portugal “um porto seguro, um solo fértil e um destino qualificado, inovador e sofisticado” para os seus negócios”.

O primeiro-ministro teve ainda ocasião de relembrar aos muitos empresários presentes no seminário organizado pela AICEP que cerca de 100 empresas japonesas já operam em Portugal, empregando “milhares de pessoas”, dando como exemplo a construtora automóvel Toyota, “que está no país desde 1971”, mas também as que chegaram mais recentemente como a “Fujitsu, a Marubeni Corporation, a Mitsui e a NTT Data-Everis”, entre outras.