Connect with us

Saúde

Pé diabético foi rastreado e tratado no concelho de Alcácer do Sal

Foi bastante positivo e benéfico para idosos e instituições locais o programa desenvolvido pela APDP – Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal no concelho de Alcácer do Sal, entre março de 2019 e fevereiro de 2020, balanço feito esta tarde no Salão Nobre dos Paços do Concelho numa sessão que contou com a participação do vereador Nuno Pestana, do presidente de Direção da APDP, José Boavida e da Coordenadora do Núcleo de Gestão dos Programas de Apoio Financeiro da Direção-Geral de Saúde, Ana Cristina Bastos.

Concretizado em cinco instituições (valências de lar, centro de dia e serviço de domicílio) por enfermeiros da APDP com o apoio da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, o programa, financiado pela Direção-Geral de Saúde, visou melhorar a qualidade de vida da população que sofre de diabetes, intervindo, através de uma ação de proximidade, no controlo do pé diabético, de modo a promover a diminuição de feridas e eventuais amputações e, em simultâneo, formar cuidadores formais e informais nesta matéria.

De acordo com os dados apresentados por Luís Prata, enfermeiro e gestor local em Alcácer dos projetos de intervenção comunitária em pé diabético, no concelho alcacerense foram rastreadas 77 pessoas, 39 integradas no quadro de risco alto, 29 no de risco médio e 9 de risco baixo. Neste âmbito, foram realizados 201 atendimentos e 186 tratamentos, desde quiropodia e ortoses e onicriptose e tratamento de feridas. Na educação terapêutica, o projeto concretizou 11 ações de formação, que contaram com a participação de 75 auxiliares/ ajudantes de família.

No final, os representantes das instituições participantes foram unânimes e expressaram o seu apoio à continuidade deste programa de valência dupla. O vereador Nuno Pestana reforçou que a Câmara Municipal de Alcácer do Sal “está sempre do lado das associações e dos idosos, que poderão sempre contar com a autarquia”.