Connect with us

Economia

Divórcio Euro-Britanico ja provoca longas filas se camiões em solo francês

As imagens de longas filas de camiões em trânsito de França para a fronteira com o Reino Unido registadas em setembro, por causa de uma greve dos agentes alfandegários gauleses, permite antecipar o cenário nestas estradas da União Europeia (UE) para lá de 31 de dezembro.

https://youtube.com/watch?v=N5pPSNsP-6M%3F

O fim do período de transição do Brexit vai repor os controlos fronteiriços, pelo menos na fronteira que liga Inglaterra a França pelo Canal da Mancha, e o caos parece simplesmente inevitável.

Rod McKenzie, da associação Rad Haulage que defende os interesses do setor britânico dos transportes, lembra pela Euronews que “durante os últimos quarenta anos, foi possível (ao Reino Unido) negociar sem qualquer atrito com a União Europeia”.

Um camião em trânsito de ou para França não era alvo de quaisquer controlos e podia cruzar livremente a fronteira.

“Quando o período de transição do Brexit terminar vai surgir uma série de papelada e formulários para preencher. Se houver algum engano, o camião fica bloqueado.

Como o Reino Unido vai deixar de pertencer à União Aduaneira da UE, os controlos vão ter de ser retomados nas fronteiras para garantir que os produtos e os animais em trânsito estão conforme os critérios regulados por ambas as partes. A prevenção contra o esperado contrabando é outros dos objetivos.

O processo de controlo do lado britânico vai exigir mais 215 mil declarações por ano e, para ajudar os exportadores a preenche-las, vão ser necessários mais 20 a 35 mil agentes alfandegários.

Cerca de 98% de tudo o que importamos no Reino Unido chega-nos de camião.

“Sem os camiões, não receberíamos nada. Estaríamos com frio, sem casa e despidos.

Devido às várias ligações com França, Dover, no condado de Kent, tem o porto britânico de maior atividade e o potencial para ser a porta principal do comércio com a União Europeia após o Brexit.

Para evitar as longas filas de trânsito que se anteveem, os motoristas vão precisar de uma autorização especial para entrar no porto de Dover.

Para ajudar a despachar a burocracia antes de chegarem à fronteira e evitar o congestionamento do trânsito, está a ser criada no lado britânico uma rede especial de parques de estacionamento para os camiões poderem parar, tratar da papelada e esperar a “luz verde” para prosseguir caminho.

O correspondente da Euronews no Reino Unido antecipa-nos um problema que parece estar a ser ignorado: “toda esta burocracia – a papelada, os parques dos camiões, os potenciais atrasos — vai acontecer mesmo que exista um acordo de livre comércio com a união Europeia”.

Às empresas foram dados apenas meses para se prepararem e é fácil perceber que todo este processo vai aumentar o custo do transporte.

“Foi-lhes dito pelo governo que isto seria essencial para aproveitar as oportunidades do Brexit.

Para o diretor da facilitação negocial na Câmara Britânica do Comércio, “as oportunidades de negócio resumem-se ao aumento do comércio”, mas é preciso “olhar para o quadro geral”, avisa.

“O Reino Unido é uma nação bem sucedida nos negócios. Reduzir as taxas a zero dá-nos vantagens competitivas. Não é perfeito, mas apesar de tudo vejam os negócios que fazemos com os Estados Unidos sem haver um acordo comercial”, argumenta Liam Smyth, defendendo o corte dos impostos sobre as exportações e importações negociadas com os “27”.

Seja como for, as fronteiras continuam a ser levantadas no Reino Unido e em particular no porto de Dover. Os empresários do setor da indústria e dos transportes anteveem as perturbações no trânsito de camiões como inevitáveis ao verem um novo obstáculo aos negócios a tomar forma.

Apenas o tempo poderá mostrar aos britânicos se valeu ou não a pena deixar a União Europeia. Um processo agora também beliscado pela derrota do “parceiro” Donald Trump nas eleições de presidenciais dos Estados Unidos.

Fonte: Motoristas do Asfalto.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *