Connect with us

Internacional

Barack Obama crítica governo brasileiro: “Seria uma pena” se Brasil deixasse de ser líder mundial

O ex-presidente dos Estados Unidos concedeu uma entrevista a uma emissora brasileiro nesta terça-feira (17)

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, recentemente comentou sobre a visão que tem do Brasil sob o governo de Jair Bolsonaro, atual presidente do País. Em entrevista ao programa “Conversa Com Bial”, da Rede Globo, exibido em rede nacional brasileira na última terça-feira (17), Obama foi incisivo ao comprar o governante brasileiro com Donald Trump. Segundo ele, a democracia está desgastada. 

O apresentador do programa brasileiro comentou uma fala polêmica de Bolsonaro que estremeceu a relação do Brasil com os Estados Unidos, quando o líder do país disse que “quando acabar a saliva, tem que ter pólvora“, se referindo a possíveis barreiras que poderiam ser impostas por outros países que impõem como condição ao Brasil, a preservação da Amazônia. 

Com sua fala, muitos especialistas entenderam que com a sua fala, Bolsonaro supostamente deu a entender que conflitos armados não são descartados pelo governo, gerando grande polêmica entre a opinião pública. 

“Eu não conheço o presidente do Brasil. Eu já tinha saído [da Casa Branca] quando ele assumiu o cargo. Então não quero dar uma opinião sobre alguém que não conheci”, disse Obama, completando em seguida: “Posso dizer que, com base no que vi, as políticas dele, assim como as de Donald Trump, parecem ter minimizado a ciência da mudança climática”.  

“E o Brasil é obviamente 1 ator central na ação de poder ou não frear os aumentos de temperatura que podem causar uma catástrofe global”, continuou o ex-presidente norte-americano, pontuando em seguida: “A minha esperança é que, com o novo governo de [Joe] Biden, exista uma oportunidade de redefinir a relação. Sei que Joe Biden vai enfatizar que a mudança climática existe. Tanto os Estados Unidos quanto o Brasil vão desempenhar um papel de liderança.” 

Segundo ele, “o Brasil foi 1 líder no passado, seria uma pena se parasse de ser”. 

Ao longo de sua entrevista concedida a Rede Globo, Obama também comentou os desdobramentos que a pandemia do coronavírus, que teve início em meados de março deste ano, continua causando em todo mundo: “Precisamos nos mobilizar dentro no nosso país e de forma internacional para tentar dar 1 fim a essa pandemia. Mas, no fim das contas, os Estados Unidos e o Brasil têm muitas coisas em comum. O progresso que precisa acontecer, não só no hemisfério, mas no mundo, vai ser, em parte, determinado pela qualidade da relação entre os nossos dois países”, falou. 

Obama tratou do seu livro nomeado de “Uma Terra Prometida” e ao longo da entrevista explicou o que o levou a se candidatar para ocupar a Casa Branca, pontuando que, em sua opinião, o Brasil e os Estados Unidos possuem muitas semelhanças, pois compartilham uma longa história de escravidão e discriminação racial, pontuando que o desafio de ambos os países é superar a desigualdade social. 

(Por Beatriz Bergamin)